O marketing digital tem se mostrado cada vez mais uma opção indispensável para as empresas alcançarem, conquistarem e fidelizarem os consumidores. Com esse crescimento, é normal que determinadas especializações surjam para oferecer resultados ainda mais efetivos a partir de investimentos otimizados. É o caso do Inbound Marketing e do Marketing de Conteúdo.

Como são estratégias que ainda estão se popularizando entre gerentes de marca e agências digitais, é comum que muitas pessoas ainda sintam dúvidas sobre qual a diferença entre esses dois caminhos que mostram incrível eficácia e grande economia para alcançar resultados.

E é para ajuda todas as pessoas que sentem esse tipo de dúvida que trouxemos os tópicos abaixo. Vale a pena conferir e entender melhor as particularidades de cada estratégia e como utilizar o Inbound Marketing e Marketing de Conteúdo para alcançar grandes resultados!

Para entender melhor o Inbound Marketing

Na era moderna, a internet substituiu a necessidade de recorrer a dezenas de enciclopédias e livros para buscar respostas específicas. Traduzindo rapidamente, é ali, em buscadores como o Google ou o Bing, que as pessoas aprendem sobre todo o tipo de dúvida.

Como muitas dúvidas dessas pessoas estão associadas ao consumo de produtos e serviços, essa passa a ser uma ótima oportunidade para que os consumidores encontrem as empresas no momento em que mais precisam.

O Inbound Marketing tem exatamente esse conceito. Ao contrário do marketing tradicional que busca forçar a compra de produtos a todo o momento, o Inbound Marketing tem a finalidade de fazer com que as marcas estejam disponíveis para os consumidores no momento em que mais precisam.

A partir desse propósito, o Inbound Marketing oferece soluções que têm a principal finalidade de ajudar os consumidores e não necessariamente a venda. Como benefício, a marca que ofereceu o conteúdo que auxiliou os consumidores no momento em que esses mais precisam, acabando ganhando em troca a confiança dessas pessoas.

E é entendendo que cada pessoa passa por estágios diferentes de dúvidas, que essa estratégia separa os conteúdos oferecidos em diferentes fases, chamadas de funil de vendas.

As principais etapas desse funil, são:

  • Visitante: Quando o consumidor apenas visitou um site para esclarecer uma dúvida superficial e não deixou qualquer dado de contato com a empresa.
  • Lead: Quando o consumidor passa a visitar com frequência o seu site a ponto de assinar a newsletter ou baixa materiais ricos, como e-books, infográficos e outros, em troca de deixar um dado de contato – na maioria das vezes, o endereço principal de e-mail.
  • Oportunidade: São leads que confiam tanto na sua empresa, que se sentem educados pelos conteúdos oferecidos a ponto de sentirem conforto para comprar um determinado produto ou contratar um serviço. Este é o momento ideal para converter um simples visitante em consumidor.
  • Cliente: É quando após conhecer os conteúdos oferecidos por sua marca, o usuário passa a comprar produtos, tornando-se efetivamente um consumidor.

O grande diferencial desse processo na metodologia de Inbound Marketing, é que as vendas não são empurradas aos cliente, mas, sim, cria envolvimento com o propósito de se sentir fidelizado pela marca.

Além do processo com o funil de vendas, o Inbound Marketing trabalha com 5 etapas na produção de conteúdos que permitem automatizar e escalar as etapas de envolvimento dos clientes. São elas:

  1. Atração: São conteúdos criados para suprir dúvidas superficiais dos clientes. Esses conteúdos podem ser encontrados por buscas pagas, buscas orgânicas e redes sociais.
  2. Conversão: É quando os conteúdos são mais específicos e ricos. São oferecidos em uma Landing Page. Para que o usuário tenha acesso a esse conteúdo, é necessário deixar um dado de contato, como o e-mail principal.
  3. Relacionamento: A estratégia para oferecer os novos conteúdos oferecidos pela empresa e, assim, conduzir os leads a caminho de um relacionamento que amadureça a venda. Para isso, são utilizados o e-mail marketing, as redes sociais e anúncios pagos.
  4. Venda: É o momento em que os times de marketing e vendas já conhecem o quanto os leads estão efetivamente interessados em comprar um produto ou serviço. Identificando potenciais oportunidades, fica mais fácil fechar negócios sem a necessidade de grandes esforços com investimentos em mídias.
  5. Fidelização: O pós-venda em si. É o acompanhamento com pesquisas de satisfação e o retorno ao início do funil para oferecer novos conteúdos que mantenham esses leads engajados e, assim, sua empresa converta novas vendas.

Com essas etapas do Inbound Marketing, o investimento em esforços de vendas é muito menor, afinal, a marca passa a educar seus próprios consumidores, criando um relacionamento a longo prazo e com muito mais possibilidades de fidelização.

Marketing Inbound ou Marketing de Conteúdo

Quais as principais ações com Inbound Marketing

Além de oferecer conteúdos interessantes, o Inbound Marketing deve criar personas (figuras que exemplificam o principal perfil dos consumidores da marca), análises detalhadas de métricas, gerenciamento de redes sociais e outras atividades que priorizem a distribuição de conteúdos.

É dessa maneira que os assuntos trabalhados por sua marca alcançam o maior número de pessoas genuinamente interessadas no universo de seus produtos ou serviços, o que, por sua vez, aumenta a relevância e autoridade de sua marca sobre o segmento no qual está inserido.

E o que é Marketing de Conteúdo?

O Marketing de Conteúdo é o formato utilizado para atrair as pessoas interessadas em uma empresa. É o principal combustível para o Inbound Marketing. Ou seja, o Marketing de Conteúdo é possível sem o Inbound Marketing, mas o Inbound Marketing é impossível sem o Marketing de Conteúdo.

O Marketing de Conteúdo trabalha não só com o intuito de fazer com que as pessoas virem consumidores, mas, também, de fazer com que uma marca seja respeitada e possibilite o envolvimento genuíno dos usuários.

De maneira geral, as estratégias com Marketing de Conteúdo levam em consideração publicações em blogs onde são disponibilizados materiais ricos (e-books, infográficos e podcasts, webinars e etc.).

Como exemplo, imagine que você seja gerente de marca de uma empresa de calçados. Para criar o interesse nos usuários, você passa a oferecer pautas relacionadas ao universo desse tema, como, por exemplo: “Tipos de calçados ideias para corridas”, “5 maneiras de limpar seus calçados sem precisar lavar”, “Como manter seus calçados sempre confortáveis em viagens longas”, e por aí vai!

Entendendo quais as principais necessidades de seu público, será muito mais fácil para fazer com que seus conteúdos sejam consumidos por uma grande quantidade de pessoas. Tudo isso é essencial para fazer com que os potenciais interessados em seus produtos ou serviços encontrem espontaneamente sua marca!

Para ser perfeito, o Inbound Marketing perfeito precisa de conteúdos perfeitos

Basicamente, não há como fazer com que os usuários comuns sejam convertidos em leads se o conteúdo oferecido por sua empresa não esteja interessante. Portanto, para que sua estratégia com Inbound Marketing  ofereça resultados, é fundamental oferecer conteúdos que realmente sejam interessantes aos usuários.

Portanto, uma dica valiosa é oferecer uma grande quantidade de conteúdos que estejam definidos para realmente ajudar as pessoas e não somente em vender produtos. Ou seja, apostar no topo de funil, onde as pessoas sentem dúvidas iniciais sobre temas relacionados aos seus produtos. É assim que a confiança é adquirida e sua empresa encontrará cada vez mais pessoas fidelizadas em caminhar junto com a marca por longos períodos.

Para gerar resultados, é preciso saber quem é seu público e onde encontrá-lo

A principal pergunta que envolve o Marketing de Conteúdo é: “Como produzir conteúdos interessantes para meu público?” e, a resposta é: “Sabendo quem são essas pessoas!”.

Parece óbvio, mas isso nem sempre levado em consideração por muitas empresas.

É fundamental criar personas que representem fielmente o seu público ideal e, principalmente, entender como essa persona se comportará em cada etapa do funil de vendas, ou seja, o que elas desejam saber, o que desejam aprender. Ao se antecipar a essas questões e criar conteúdos relevantes, sua empresa terá enormes possibilidades de atrair esses usuários comuns.

Com isso em mente, a estratégia de Inbound Marketing fará com que você saiba exatamente onde encontrar seu público perfeito: se nos mecanismos de buscas, se nas redes sociais, em e-mails marketings, fóruns especializados ou outros tantos canais que facilitam que o conteúdo certo apareça no momento certo para as pessoas certas.

Essas questões mostram como o Marketing de Conteúdo e o Inbound Marketing formam uma parceria perfeita em uma era em que são os consumidores que detém o poder sobre os conteúdos que querem ou não consumir.

Baixe agora o Ebook Mitos do Marketing Digital

E então, entendeu a diferença entre Inbound Marketing e Marketing de Conteúdo? Ficou com vontade de saber ainda mais sobre essas estratégias? Deixe seu comentário abaixo ou entre em contato conosco!